ITAPAJÉ: GOLPE APLICADO PELA ELETRO SUPER MAIS PODE CHEGAR A R$ 540 MIL « ADRIANO FURTADO

quinta-feira, 16 de julho de 2015

ITAPAJÉ: GOLPE APLICADO PELA ELETRO SUPER MAIS PODE CHEGAR A R$ 540 MIL

Postado Por: ADRIANO FURTADO  |  Em:

A provável fraude aplicada pela empresa de “compras premiadas” intitulada Eletro Super Mais ainda repercute muito no município de Itapajé. A loja, que fechou as portas na última terça-feira, dia 15, sem qualquer aviso prévio ou comunicado aos clientes está sendo investigada pela Justiça e pela Polícia Civil por aplicar um golpe que pode chegar a R$ 540 mil, segundo estimativas do Promotor Rodrigo Manso Damasceno. O representante do Ministério Público informou em entrevista ao departamento de jornalismo da rádio Atitude que no dia 1º deste mês entrou com uma ação civil pública contra a empresa e seu proprietário, identificado como Elias Tápia, solicitando o bloqueio de bens para possível ressarcimento dos consumidores e ainda a paralisação imediata das atividades da Eletro Super Mais. De acordo com Rodrigo Damasceno, muito embora ainda não tenha sido comunicado oficialmente, a Justiça teria acatado os pedidos. O próximo passo será tentar rastrear possíveis bens patrimoniais do investigado para resguardar o direito das vítimas. O promotor advertiu, no entanto, que se o golpista não tiver patrimônio declarado ficará muito difícil restituir os valores perdidos. Na esfera criminal o acusado deve ser denunciado por estelionato e formação de quadrilha. Na madrugada desta quinta-feira, dia 17, quatro pessoas ligadas à empresa foram presas em flagrante pela Polícia Militar após retirar computadores, documentos e outros bens de maneira furtiva da sede da empresa, no centro da cidade. Os quatro, identificados como Clair Batista de Araújo, Elionardo Magalhães de Brito, Alexandra Maria Bastos e José Valdo Pinheiro, foram conduzidos à Delegacia de Polícia Civil também devem responder por estelionato e ainda por formação de quadrilha. Tão logo a informação sobre as prisões se espalhou, dezenas de pessoas se concentraram em frente à Delegacia e exigiam o reembolso do que já havia sido investido. De acordo com o delegado Raul Tessius, a juíza Danielle Estavam Albuquerque deverá avaliar se os acusados continuarão presos ou responderão em liberdade. O Ministério Público deve entrar na Justiça com uma ação coletiva de ressarcimento de danos. Na manhã desta quinta-feira, dia 16, a juíza Danielle Estavam Albuquerque determinou a interdição do estabelecimento comercial em questão. O proprietário da empresa Eletro Super Mais, Elias Tápia ainda não foi encontrado para se pronunciar a respeito das acusações.
Mardem Lopes


Um comentário:

  1. Só faltou dizer do que se tratava a noticia... não dá pra compreender pois a matéria está incompleta...

    ResponderExcluir

:: públicidade ::

:: públicidade ::
A MAIOR RECOMPENÇA DO NOSSO TRABALHO NÃO É AQUILO QUE NOS PAGAM POR ELE, E SIM, AQUILO EM QUE ELE NOS TRANSFORMA

ASSINE NOSSO E-MAIL E GRATIS